jusbrasil.com.br
14 de Junho de 2021

O Brasil cruel: Reflexões sobre uma geração que aplaude o crime e condena a autoridade policial

Rodolfo Agra, Estudante de Direito
Publicado por Rodolfo Agra
há 4 anos


  Não é à toa que atualmente o Brasil se encontre dominado pela criminalidade, visto que tal situação é apenas uma consequência de quando uma sociedade exagera na inversão de valores, claro, há outras diversas ideologias e fatores responsáveis pela estimulação do crime no Brasil, mas focaremos exclusivamente na inversão de valores estabelecida entre policial e criminoso.

  Infelizmente está cada vez mais frequente o acervo de adjetivos cruéis atribuídos as forças policiais pela mídia, pela sociedade e também pelos membros que constituem os “direitos humanos”. É comum vermos policiais sendo taxados de racistas, homofóbicos, torturadores, perseguidores, autoritários e opressores. Enquanto os heróis são taxados com essa série de adjetivos, os criminosos geralmente são idolatrados, vitimizados pela mídia, acolhidos pelos “direitos humanos” e reconhecidos como heróis por uma parte da sociedade. Portanto, toda essa série de fatores têm como consequência um verdadeiro apocalipse de criminosos. Não só aqueles criminosos que saem com uma pistola 9mm nas mãos, mas também aqueles revestidos de um terno, gravata e de belo vocabulário.

  Ser policial no Brasil está sendo uma atividade extremamente difícil, não pelo fato de tentar impor a ordem social, mas pela falta de auxílio tanto estatal como social. Precisamos de leis que deem tranquilidade para o policial exercer suas atividades, entretanto nossa legislação está dando cada vez mais benefícios legais aos infratores da lei. Exemplo disso é a audiência de custódia onde o criminoso, após ser detido, é encaminhado imediatamente à audiência para testemunhar se houve algum tipo de abuso do policial ao prendê-lo. É óbvio que ele irá usar de todos os seus argumentos para prejudicar os policiais, mesmo que não tenha ocorrido abuso de autoridade ou qualquer outro delito por parte dos agentes. Caso um policial seja acusado de tortura na audiência, ao mesmo cabe o ônus da prova, ou seja, provar sua inocência diante do fato. Somente no Brasil a palavra de um delinquente é simplesmente levada mais em consideração do que a de uma autoridade seguidora da lei.

  E o que falar da mídia? Sem dúvidas é uma das principais responsáveis pela situação na qual nos encontremos. Todos os dias vemos notícias de homicídios, estupros, latrocínios, roubos, etc, mas nunca se dá ênfase e repúdio por essas práticas como dão quando uma autoridade policial comete qualquer ato ilícito, por mais insignificante que seja. E quando um policial é assassinado? A mesma coisa. A mídia não destaca tal fato como deveria ser destacado. Exemplo disso foi no caso do Cabo Marcos Marques da Silva, de 36 anos, assassinado covardemente por uma quadrilha composta por oito criminosos após uma tentativa de roubo em uma agência bancária em Santa Margarita, Minas Gerais, no dia 10/07.

  Foi perceptível a não relevância necessária que os principais meios jornalísticos atribuíram ao fato, mesmo tendo imagens exclusivas de uma ação criminosa completamente bárbara que ali tirara a vida de mais um herói que deu sua vida em prol da ordem pública e por pessoas que criticam o seu trabalho.

  Lembram do menor que teve sua testa tatuada com a frase “eu sou ladrão e vacilão”? Nunca houve tanta repercussão, revolta, repúdio e sede de justiça apresentada não só pela mídia, mas também pela própria sociedade. O mais cômico é que foi arrecado mais de 20 mil reais para a remoção da tatuagem na testa do criminoso. Muitas pessoas, inclusive alguns religiosos prestaram seu total apoio ao menor e repúdio ao tatuador. É preciso deixar claro que não foi justa a atitude do tatuador, mas dar total apoio a um delinquente é uma grande hipocrisia.

  Quando falamos em hipocrisia é isto que temos que observar: No começo deste ano (2017), o Policial Militar Marcelo Abdalla Neder, de 34 anos foi cruelmente assassinado por criminosos na Rodovia Presidente Dutra, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. A aposentada Ana Maria da Silva, de 64 anos, mãe do Policial Marcelo estava sem receber seu salário há dois meses e não tinha como enterrar o seu filho. Em nenhum momento houve uma grande repercussão na mídia sobre o assunto, também não houve arrecadação de fundos para ajudar a senhora a enterrar o seu filho, menos ainda a indignação por parte das pessoas e principalmente auxílio dos “direitos humanos”. Quem ainda acredita que os direitos humanos têm como função prestar apoio as pessoas de bem, está absolutamente errado, pelo menos na prática.

  A comissão dos direitos humanos está completamente tomada por uma forte e blindada ideologia progressista onde a vítima sempre será os criminosos e não as pessoas de bem que estão perdendo suas vidas para o crime. Dona Ana Maria, mãe do soldado assassinado sabe muito bem dessa realidade e ficou bastante revoltada – não é para menos – com a situação.

A gente precisa gritar para ver se tudo endireita. Onde está o pessoal dos Direitos Humanos agora? Meu filho nem 13º salário recebeu, mas estava cumprindo com sua obrigação como policial.

  No final, a corporação militar bancou o sepultamento do soldado, e diante disso podemos observar o quão hipócrita é a nossa sociedade e como os valores estão sendo cada vez mais invertidos.

  Em 2014, uma palestrante dos direitos humanos estava debatendo com alguns policiais o que eles deveriam fazer quando entrassem em confronto com criminosos armados. De uma forma breve e cômica ela afirmou: “Vocês só podem atirar a partir do momento que vocês forem alvejados”. Fica cada vez mais claro de qual lado os direitos humanos estão. Além de ser uma afirmação absolutamente cruel e de mau caráter, é também bastante ilógica. Não há como reagir se você já levou diversos tiros, como aconteceu com o Cabo Marcos. O correto a fazer seria tomar a atitude necessária quando a situação representasse risco de morte para os agentes. Se o necessário for alvejar os criminosos para salvar suas vidas, então isso seria o correto. Já dizia o grande escritor francês Victor Hugo: “Quem poupa o lobo, sacrifica a ovelha”.

  Entretanto, não só os direitos humanos têm sua contribuição em prol da criminalidade, mas a população também. Está cada vez mais comum os cidadãos interferirem nas atividades policiais. Quando um agente tenta prender um criminoso as pessoas tumultuam toda a situação com o objetivo de ajudar o delinquente e também na expectativa do policial cometer algum erro - por mais insignificante que seja - para expor na mídia, e assim condená-lo. Não faz sentido uma sociedade clamar por mais segurança quando ela usa de todo os seus artifícios para prejudicar as autoridades que dão suas vidas para promover a ordem pública.

  Assim sendo, é necessário que as pessoas reflitam imediatamente sobre os seus princípios e conceitos completamente infectados pelas más ideologias que estão resultando na inversão de valores. As autoridades policiais estão do nosso lado, estão dando suas vidas em busca da ordem pública e de uma sociedade menos perigosa, mas infelizmente a maioria das pessoas não atribuem o valor e o incentivo necessário a quem realmente se importa com elas. Lamentavelmente quem sofre com toda essa situação na qual os valores estão invertidos somos nós, e não os criminosos. Enquanto esta geração continuar aplaudindo o crime e condenando as forças policias, o caos promovido pela criminalidade irá continuar mais forte do que nunca.


Referências:

Palestrante dos "Direitos Humanos" diz que policial só pode atirar se primeiro for alvejado. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4CB3LaWiYC8

Policial é morto em Santa Margarida durante tentativa de assalto a bancos: Disponível em: http://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/cabo-da-pmeassassinado-em-tentativa-de-assaltoabancos-e...

Sem salário, mãe de PM morto espera ajuda para poder enterrar o filho. Polícia vai pagar sepultamento. Disponível em: https://extra.globo.com/casos-de-policia/sem-salário-mae-de-pm-morto-espera-ajuda-para-poder-enterra...


13 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Eu nasci em um lugar de classe alta no Rio de Janeiro e aos 7 anos de idade me mudei para Duque de Caxias, baixada fluminense, um dos lugares mais perigosos do rio.

O medo da polícia era enorme, já assistiram aquele filme tropa de elite? É, aquela cena do cara batendo em um menino para ele falar onde estão os amigos "criminosos" é real, e aquela cena é uma das mais fracas que já vi na vida real.

São inúmeros casos onde vi pessoas sendo presas por serem negras, ou foram confundidas com criminosos, até pq preto é tudo igual, né?

A polícia no rio de janeiro tem a fama de ser a mais corrupta do Brasil, vive
nciei inúmeros casos onde a polícia tomou o lugar dos bandidos.

A história mais repugnante foi quando meu pai foi assassinado, eu tinha apenas 7 anos, os policiais roubaram a aliança dele na frente da minha mãe. E disseram que se quisesse saber de alguma coisa, ou que eles investigassem teríamos que pagar eles por fora, além de terem apontado uma arma para minha mãe mandando ela parar de chorar...

Certa vez fui assaltado (2x nesse mesmo lugar, um ponto de onibus), simplesmente do lado de uma viatura policial, e o policial estava mexendo no whats app rindo, e disse que não poderia sair do lugar. Não fez o mínimo de passar um rádio para alguma viatura...

Há!!! Mas quando o bandido for te assaltar você vai chamar quem? O Batman? Se eu pudesse chamava o Batman, mas não chamava a polícia.

Outra vez o policial simplesmente assaltou meu colega e disse que se ele não desse o dinheiro que ele tinha na carteira ia leva-lô para a delegacia por porte de drogas.

As pessoas passaram a filmar policiais revistando os carros e pedindo para levantar as mangas para não sofrerem esse famoso e conhecido golpe.

O pessoal costuma dizer que de madrugada policial vira Deus, o que ele disser se torna verdade, então você cidadão não pode fazer nada, se ele disser que vc tem drogas, vc tem drogas, a palavra dele é lei...

Ninguém mais respeita a polícia, as pessoas tem medo de serem extorquidas por policiais mesmo estando certo, pois de madrugada eles são a lei...

Existem algumas regiões no rio de janeiro que é controlada pela milícia, que nada mais é do que policiais que controlam a região.

Mas de que forma eles controlam a região?

Cobrando taxas dos moradores para fazer a segurança, enquanto um botijão de gás em um lugar convencional é 40 reais, nos lugares onde a milícia controla é 50, pois tem a taxa para os policiais.

E com o tempo isso foi piorando, e em certos lugares a polícia controla o tráfico de drogas, ou você acha que a droga chega nas favelas sem propina para a polícia?

Com tudo isso que vivi no rio, tomei certo repúdio da polícia... .Blitz no rio de janeiro? Circulam audios nos grupos de whatsapp dos policiais dizendo que não vão aderir greve pq não vão poder "trabalhar" para trazer o sustento da família, isso é lógico, blitz no rio de janeiro não tem nem reboque, é simplesmente um pedágio...

Gostaria muito de confiar na polícia, gostaria muito que no dia que fui assaltado, o policial pelo menos passasse um rádio dizendo que os bandidos foram na direção x. Mas nessas horas me vem na cabeça um pensamento, será que ele está levando vantagem desses pequenos assaltos?

Baseado nesses fatos, não preciso nem declarar qual a minha posição em relação a polícia....

Tenho medo!!! Não sei em que lado eles estão :/ continuar lendo

Concordo contigo e este relato realmente e estarrecedor.Estamos n meio de uma selva onde os animais estão enjaulados e com medo.Quero concordar que ainda existem policiais tão corruptos assassinos que destroem suas próprias reputações incluindo sua corporação, mas existem policiais e são a maioria que respeitam o cidadão e temos que da crédito aos seu trabalho de risco.Um dos maiores problemas está no tráfico de drogas reinante em nosso pais e que além de políticos, empresários e alguns magistrados envolvidos na criminalidade. nasci o rio de Janeiro também e de vez em quando visito parentes e sei que desde da década de 80 com o comando vermelho e falange vermelha naquela época tinha políticos empresário e até policiais envolvidos.Infelizmente uma das saídas seria um referendo ou pelbiscito sobre legalização de todas as drogas. continuar lendo

Paulo, você vive na Síria, no Afeganistão? continuar lendo

Paulo Duarte

Também moro em Duque de Caxias e não vejo isso tudo que vossa pessoa expõe no relato acima.

Nesse tempo todo em que mora nesse município pertencente a Baixada Fluminense, você ou algum familiar seu nunca precisou da polícia? Em todas as vezes você foi usurpado, extorquido, surrupiado, etc...?

Esse seu relato, desculpe a sinceridade, parece um pouco quimérico. Pois toda vez que precisei da polícia, tive um bom atendimento, inclusive quando tive meu veículo roubado numa conhecida avenida de Duque de Caxias.

Não sou hipócrita em afirmar que não existem maus policiais, é uma realidade infelizmente, profissionais da segurança envolvidos em atividades ilícitas, mas você querer generalizar!!!! Será que no intimo de sua mente, não tem outro motivo para você ter tanto ódio e medo da polícia, além dessas histórias um pouco utópicas, dignas dos factoides exposto por uma gama de ONG´s de ideologias de esquerdas que vivem de holofotes e tragédias alheias, repito, não tem outro motivo (s).

O que vejo muito em Duque de Caxias, diferente da visão em supra, são traficantes que fecham as ruas das comunidades, sufocando o direito de ir e vir de milhares de moradores; vários latrocínios, principalmente nos bairros nobres, assalto aos ônibus, resumindo bem, toda gama de delitos, em quê, muitas vezes, aparecem pessoas preocupadas com os direitos humanos dos indivíduos que praticam toda essa sorte crimes. continuar lendo

@Filipe L.M. Infelizmente não, apenas no Rio de Janeiro. continuar lendo

@mauricioleandro10 : Oi Maurício, ótimo perguntar, eu morei minha infância na Barra da Tijuca e em Duque de Caxias morei próximo da divisa com São João (Deve saber do que eu estou falando). Esse lugar era conhecido como um local para desova de corpos antigamente.

Não estou defendendo bandido, direitos humanos e etc... Estou colocando os policiais corruptos no mesmo lugar que eles, bandidos.

O que mais me angustia é precisar de proteção e não ter.

Quando me mudei miha mãe tinha um carro acima da média e ela era assaltada de 4 em 4 meses (sem brincadeira). Certa vez o bandido bateu com o carro em uma rua movimentada, próxima a uma catedral (Santo Antônia) e abandonaram o carro, as pessoas ligaram para a polícia, os bandidos correram. Quando chegamos ao local da batida fizemos o boletim de ocorrência e todo o resto, mas antes de sair o policial disse que tinha esquecido algo na mala enquanto revistava o carro, após abrir a mala e ele retirou o step (pneu com o macaco) e disse que era dele, havia "esquecido" na mala enquanto "vistoriava".

Pode ser "sorte" minha ter encontrado tantos policiais ruins assim na minha vida. Talvez, mas vendo em uma visão geral é fácil dizer que o policial que aceita a sua propina deixando pra lá aquela multa.

Para mim são todos bandidos, minha mãe diz que quem rouba 1 centavo ou um milhão é ladrão do mesmo jeito.

Eles tem o direito de serem perdoados, claro!!!

Quando eu era pequeno roubei um chocolate nas lojas americanas e nem por isso hoje sou um bandido.

O problema é defender o corrupto quando lhe é conveniente. continuar lendo

Só jogar no Youtube e ver que são vários os casos de policias agredindo pessoas. Inclusive ficou famoso o rico de Alphaville que desrespeitou a polícia e nada foi feito com ele. continuar lendo

Excelente artigo e espero que toda sociedade reflita o quanto antes inclusive alguns defensores dos Direitos humanos que defendem principalmente o criminoso costumaz e reincidentes.Estamos vivenciando uma guerra civil não declarada no estado do Rio de Janeiro e que sirva de reflexão para quem defende estes meliantes que não perdem a oportunidade de executar qualquer policial que estiver ao seu alcance. continuar lendo

Obrigado, José! Abraço! continuar lendo

Talvez uma mudança radical seria propor um referendo ou plebiscito para Pena de Morte para criminosos reincidentes, investir em mais tecnologia na investigação, aumentar p efetivo das polícias (Investigadores, Fronteiras e Policiamento em todas as capitais do pais) Elaborar um plano de redução de danos nos presídios liberando aqueles que cometeram crime de pequenos furtos, traficantes varejistas,e os demais que reincidentes, trabalhos forçados para pagar suas próprias despesas.Promover escolas em tempo integral para quem tem vontade de aprender um ofício.Agora o mais intrigante, estudo de legalização de todas as drogas e investir em saúde pública com núcleos de recuperação. continuar lendo

Eu morei no rio de janeiro de 1980 a 1992 - era um tempo que a gente podia andar nas ruas de noite- sair de uma boite de madrugada e nada acontecia - me mudei e voltei a passeio e tive um choque viadutos - predios abandonados tudo ocupado - a cidade virou um caldeirão enorme de invasões comandadas por bandidos e milicianos e com a hipocrisia generalizada que nas ceu junto com a internet - o crescimento de ONGs e defensores de criminos o que aconteceu? uma INVERSÃO - o cidadão de bem virou refem do mal e a policia quando mata são criminosos - essas comunidades como chamam são povada por pessoas que querem ter todo tipo de serviço sem pagar por isso (como internet - agua - luz e outras coisas) - tudo de acordo com bandidos e milicianos - por isso essas pessoas são a favor dos bandidos - eu penso como aquele policial que disse uma vez BANDIDO VOM E BANDIOO MOERTO e quem copactua com eles que pague o preço - PARABENS AOS POLICIAIS DO RIO DE JANEIRO - continuar lendo